Buscar
  • Eliana Oliveira

Depressão no Natal


Geralmente a maioria das pessoas associam o Natal à fraternidade, alegria, família reunida, mesa farta, presentes e enfeites. Para algumas pessoas o Natal pode vir acompanhado de tristeza, angústia e ansiedade.


O Natal trata-se de uma comemoração religiosa que impões a obrigatoriedade de um clima de paz, amor e união. Espera-se o perdão, fortalecer laços de amigos e familiares.


A depressão se agrava por questões de luto, problemas familiares, separações, demissões, etc. Carregamos histórias de amor, dor, alegria e tristeza, inclusive dos nossos antepassados. Tudo que vivenciamos é herdado de geração para geração por meio das emoções. Damos o nome de emoções ocultas, muitas vezes é um sentimento de vazio. Quando a família se reúne, essas lembranças e emoções se fazem presentes de forma inconsciente. Não há como ter controle, mas com amor é possível curar essas dores.


Entenda que geralmente no final do ano realizamos uma retrospectiva que incluem suas perdas, projetos e metas que não foram realizadas concretizados. Atrelado vem o medo do insucesso para o próximo ano, aumentando o sentimento de incapacidade, insegurança, culpa e baixa autoestima ocasionando mais angustias. Entenda que nem sempre conseguimos fazer o que planejamos dentro do período estipulado, pois as circunstâncias podem alterar tudo contra nossa vontade. Você não tem culpa. Para 2019 reavalie e crie metas mais realistas.


Não são todas as pessoas que conseguem passar por cima das diferenças e esquecer as situações dolorosas somente para seguir um protocolo natalino. Algumas pessoas que estão vivenciando alguns momentos difíceis podem se sentir ainda piores. A pressão para que todos coloquem um sorriso no rosto e estejam felizes acabam potencializando aspectos depressivos daquela pessoa.


Qualquer que seja o motivo, o enfrentamento dos sentimento é inevitável. Se vocês estiver vivendo uma situação similar, procure ajuda. Converse com pessoas que você confia, não tenha receio nem vergonha. Abra espaço para falar francamente, respeite a opinião do outro, e pratique a solidariedade.


Um Natal mais reflexivo.






0 visualização0 comentário